Cinco Adidos De Defesa Acreditados em Moçambique

O Ministro da Defesa Nacional, Atanásio M´tumuke, acreditou, em Maputo, Cinco Adidos De Defesa de igual número de países. Trata-se dos Coronéis Lesedi Kapeko, Da Republica do Botswana, Bambang Sudianto, da Indonésia, Ali Kamil Yardimci da Turquia e os Capitães de Mar-e-Guerra Paulo Gonçalves da Silva e Gonzalo Hermán Prieto, de Portugal e Argentina, respectivamente.

Falando momentos após a cerimónia de acreditação, M´tumuke disse que a cooperação na área de defesa tem verificado um crescimento cada vez mais notável devido as acções dos Adidos de Defesa acreditados em Moçambique, que tem contribuído para o incremento de capacidade e competências que potenciam a prontidão combativa das Forças Armadas de Defesa de Moçambique, razão pela qual o dirigente reafirma a necessidade de continuar a estreitar, cada vez mais, as excelentes e históricas relações de amizade e cooperação existentes entre Moçambique e seus parceiros de cooperação, no domínio da defesa.

“O anseio do Ministerio da Defesa Nacional é de continuar a trabalhar de forma proactiva com os Adidos de Defesa, acreditados na Republica de Moçambique, em prol da consolidação das relações bilaterais e multilaterais, numa perspetiva de beneficio mutuo e sem interferências em assuntos meramente internos”.

Desde outubro de 2017, alguns distritos da província de Cabo-Delgado, na zona Norte do país, tem sido alvo de ataques armados, perpetrados por indivíduos desconhecidos, situação que não foi esquecida por M’tumuke, durante a cerimonia, que espera o apoio dos parceiros de cooperação para combater os malfeitores.

“Para a superação deste infortúnio contamos com o apoio dos nossos parceiros de cooperação para o combate cerrado a estes malfeitores, facto que pode ser materializado através da troca de informações pontuais e estratégicas entre varias forças de defesa e segurança”. Disse Atanásio M’tumuke.

A ocasião serviu também de despedida do antigo Adido de Defesa de Portugal, Carlos Alves Batalha da Silva, que terminou a sua missão em Moçambique depois de um notável trabalho, volvidos dois anos.